Mato Grosso: Chapada dos Guimarães, Bom Jardim/Nobres e Pantanal

Não sei explicar direito quando começou o nosso desejo de ir ao Mato Grosso. Mas não dizem que as melhores coisas da vida acontecem meio sem querer, sem a gente saber a data certa? Elas vão apenas acontecendo. Acho que foi meio assim com a nossa última viagem. Primeiro ouvimos falar de Nobres, que depois descobrimos que é o nome turístico, na verdade, Bom Jardim é o nome correto do melhor local para se hospedar e fazer os passeios na região. Ouvimos que Nobres é tão bonito quanto Bonito e um pouco mais barato. O slogan de Nobres é Nobres não é bonito, é lindo! Depois veio a Chapada dos Guimarães, foi no Ziga da Zuca em que li sobre o lugar mais detalhadamente e tive vontade de conhecer. Por fim, quando me restava apenas 1 dia e meio de viagem me deparei com informações sobre o Pantanal no A Fragata Surprise.

Um dia e meio no Pantanal nos deu apenas um gostinho de quero mais. O lado bom de não termos ficado a média de dias comuns no lugar, que são de 4 a 5 dias, é que descobrimos que não temos equipamentos para fotografar no lugar. Então, esse é um item a ser adquirido quando resolvermos voltar.

Bom, nesse post inicial vou tentar passar a ideia das nossas três paradas. E depois teremos posts detalhados dos guias e agências com quem fechamos os passeios, as hospedagens e algumas dicas de restaurantes, além de cada detalhe dos passeios e atrações.

Mato Grosso
Durante a colonização, o Mato Grosso era uma área em que predominavam os exploradores, caçadores de índios e de ouro e naturalistas. Atualmente, o estado chama a atenção pelo ecoturismo, vida selvagem e a incrível paisagem.Não podemos negar que muitas vezes quando falamos em Mato Grosso a primeira imagem que nos vem a cabeça é o Pantanal que tem um dos ecossistemas mais importantes e frágeis do planeta e é a casa diversas espécies animais espetaculares.

O ponto de partida para as outras regiões do estado como o Pantanal, Chapada dos Guimarães e Bom Jardim é a capital Cuiabá. O nome da cidade é uma palavra indígena bororo e significa “pesca com flecha”. Nos últimos 30 anos a cidade passou a ganhar mais evidência em nosso país. Primeiro por conta do ouro, depois pela agricultura. Apesar da corrida do ouro ter diminuído, segundo algumas pessoas que conversamos no Pantanal ainda tem gente que vive ou morre por conta do ouro nas minas.Nós não tivemos tempo para explorar a cidade Cuiabá, apenas passamos por ela. Mas como pretendemos voltar ao Pantanal teremos a oportunidade de conhecer um pouco da cultura mato grossense em outro momento.

Algumas coisas importantes a serem ditas é que o Aeroporto Internacional de Cuiabá – Marechal Rondon se encontra em Várzea Grande, que se localiza a 8 km do centro da cidade. Na saída do aeroporto há um grande número de agências que alugam carros. Nós passamos 13 dias na cidade e achamos que a melhor opção para se deslocar é alugando um carro como nós fizemos.

Chapada dos Guimarães
Antes mesmo de chegarmos a Chapada dos Guimarães sua beleza nos encantou. Afinal, tínhamos acabado de chegar no estado, alugamos um carro e pegamos a BR-251 em direção ao nosso primeiro destino.Estávamos conversando distraidamente quando de repente olhamos para a frente e nos deparamos com aquela paisagem da Chapada, um incrível paredão avermelhado de mais de 400 metros de altura com sua área verde. A beleza dessa paisagem nos acompanhou por grande parte dos 74 km de Cuiabá até a Chapada ou o período de aproximadamente 1h30min até lá. Essa era nossa estimativa de acordo com o google, mas nós paramos para almoçar no caminho, então, demorou mais do que isso.

Conforme fomos aprendendo ao longo dos nossos cinco dias na Chapada, com excelentes guias, a região da Chapada dos Guimarães já foi de tudo um pouco: geleira, mar, deserto e floresta. Todas essas mudanças geológicas e climáticas transformou ela no que é hoje, em um lugar cheio de belezas.

O planalto central do país, começa no alto dos paredões avermelhados da Chapada dos Guimarães e a partir de seus mirantes é possível ter uma ideia de onde se localizam os alagados pantaneiros, que ficam a mais de 100km de distância porque ver de verdade, acho que só com um binóculos superpotente.

A Chapada dos Guimarães localiza-se no chamado centro geodésico da América do Sul. Isto quer dizer que ela está equidistante dos oceanos Atlântico e Pacífico. E foi do mirante do centro geodésico que nos indicaram a direção do Pantanal. Além dessa famosa atração, na Chapada ainda há muitas outras atrações a serem vistas como as grutas, cavernas, formações rochosas incríveis, rios de águas limpíssimas e muitas cachoeiras.

Chapada_Nobres_Pantanal-2

A região, com sua vegetação de cerrado, ainda é rica em animais silvestres, como lobos-guarás, pacas, veados-campeiros, tucanos e araras. No inverno é comum que brumas cubram a paisagem, deixando um clima de mistério no ar.

No caminho de Cuiabá à cidade da chapada, nós passamos pelo rio dos Peixes, pelo rio Mutuca e pelo rio Claro, que são locais de banho populares entre os cuiabanos; e três grandes vales, o vale da Salgadeira, o vale do rio Paciência e o vale do rio Claro, onde fizemos passeios de boiá cross e caiaque. O penhasco de 80 metros chamado Portão do Inferno também é inesquecível – era antigamente a “prisão” da cidade, no começo dos anos 1900.

Uma coisa que aprendi que em relação ao clima da Chapada é não faça sua mala tendo como referencia o clima tempo de Cuiabá. Por estar mais alta que a capital o clima lá varia bastante. Inclusive, nos disseram que em um único dia é possível ter as 4 estações. Nós não chegamos a passar frio, mas no último dia choveu, ventou e neblinou muito.

Aluguel de carro

Bom Jardim / Nobres
Primeira coisa que tem que ficar bem claro, se você for ao Mato Grosso e quiser fazer os passeios de flutuações em rios cristalinos e com um azul incrível você deve procurar por passeios turisticamente conhecidos como oferecidos na região de Nobres. Entretanto, as atrações estão geograficamente mais perto de Bom Jardim, local onde se localizam também as pousadas, do que em Nobres.Saindo de Cuiabá, o município de Nobres se encontra a aproximadamente 120 km de distância de lá é possível ir a Bom Jardim, mas você terá que passar por 50 km de estrada de terra. Então, a melhor opção é pegar a Rodovia Estadual 251 e depois a 351 e depois pegar a ponte da usina do manso. Esse percurso tem aproximadamente 145 km, mas de estrada asfaltada. Com esse pouco tempo de distância é possível fazer um bate volta até as atrações. Entretanto, nós passamos 3 dias inteiros na vila. Fizemos uma média de 2 a três passeios por dia e aproveitamos muito esses dias por lá. Seus rios cristalinos com muitos peixes, cavernas, cachoeiras e araras fazem com que esse lugar seja recarregador de energias para o retorno a rotina.

O que pudemos perceber é que a Vila de Bom Jardim ainda é pouco conhecida. O desenvolvimento turístico ainda está no começo o que tem o lado bom, quase todas as atrações em que estivemos eram apenas nós dois. Imagina como não é fazer flutuação com o rio todo só pra você?! Mas não espere uma grande estrutura de pousadas e, principalmente, de restaurantes. Nós comemos muito bem nas noites de sexta e sábado quando tinha mais movimento na cidade.

Chapada_Nobres_Pantanal

A dobradinha Chapada dos Guimarães e Nobres é muito aconselhada, principalmente, nessa ordem porque nos passeios da Chapada nós nos cansamos mais, andamos bastante. Já em Nobres os passeios são mais relaxantes.

Pantanal
Apesar da Amazônia receber grande parte da atenção da imprensa. Mas em nossa pesquisa descobrimos que o Pantanal é melhor lugar para ver a vida selvagem. isto porque a densa vegetação da Amazônia dificulta a observação dos animais e nos charcos abertos do Pantanal é muito mais fácil flagrar animais e vegetações.

Chapada_Nobres_Pantanal-3

Localizado no coração da América do Sul, o Pantanal é a maior extensão de terras inundáveis do mundo, com aproximadamente 210 mil km2. Nós ficamos no inicio do Pantanal, por conta de termos apenas 1 dia e meio da região, mas a estrada principal de acesso que atravessa o Pantanal é a Transpantaneira. Essa estrada de terra  divida por pequenas pontes de madeira termina 145 quilômetros a sul de Poconé, em Porto Jofre. Nós ficamos no quilometro 10 para vocês terem uma ideia. Mesmo ficando muito no inicio vimos muitos animais como jacarés, araras azuis, emas, porco do mato e, quase, vimos uma onça pintada. Em conversa com uma guia, ela nos disse que quanto mais para dentro da Transpantaneira nós fossemos mais seria a facilidade de vermos animais silvestres. Inclusive, ela nos disse que se fossemos a Porto Jofre ela nos garantia que veríamos a onça pintada. É obvio que Porto Jofre entro na nossa bucket list, não é mesmo?

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense ocupa 1.350 km2 e se localiza no sudoeste da região, mas grande parte do Pantanal é composto de terras privadas. É a cooperação entre o ecoturismo e os donos de terra da região que contribui para a conservação sustentável do meio ambiente e encoraja a coexistência com a vida selvagem. A pousada em que fizemos o day use é um exemplo disso. Eles vivem da criação de gado e dos passeios turísticos. O parque nacional e três menores reservas naturais vizinhas entraram na lista da Unesco como Patrimônio Mundial em 2000.

Que tal seguir a gente no Instagram tem muitas fotos rolando por lá!

Viagem realizada em Junho de 2015.

Posted in AMERICA DO SUL, BOM JARDIM / NOBRES, BRASIL, CHAPADA DOS GUIMARÃES, MATO GROSSO, PANTANAL, POCONÉ and tagged , , , , , , , .
Tatiane Dias

Tatiane Dias

A cada dia me desapego mais e mais de bens materiais. A vida nos mostra que mais importante que ter é viver. Por isso, cada brecha que temos já começo a pensar em algum lugar pra ir seja no Rio ou fora dele.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *