Peru: Cusco – Vale Sur – Andahuaylillas, Tipon e Piquillacta

Esse foi o nosso último passeio fechado com a Chaski Peru Trek. Assim como nós anteriores, as 8:45 nós fomos até a frente da agência e esperamos alguém para nos levar até o ponto de onde sairia o ônibus. Uma coisa que notamos, principalmente, nesse passeio é que além de Machu Picchu o passeio mais procurado de Cusco é o Valle Sagrado, pois o passeio a Maras – Moray – Salineiras contou com um número menor de pessoas seguido por um número ainda menor de pessoas nesse passeio do Valle Sur. O passeio do Valle Sur tem horário de retorno previsto para as 14 horas.Apesar disso, o que eu posso dizer é que esse tour é muito interessante. Passamos por ruínas incrivelmente belas. A única coisa que me deixou mais triste foi que eu achei o tour bem rápido, ele poderia ser igual ao do Valle Sagrado, em que nós retornamos a noite e assim poderíamos apreciar os locais de paradas com mais calma.

Tipón
Nossa primeira parada foi Tipón, que fica a aproximadamente 30 km de Cusco. Tipón é uma grande demonstração do domínio dos incas sobre o meio ambiente. Num primeiro momento, achamos que a parada não seria tão interessante como foi. Mas o local, que é um extenso sítio com alguns terraços diante de um pequeno vale compondo um engenhoso sistema de irrigação chamou muito a nossa atenção. A partir dessa construção pudemos ver como os incas conseguiam mudar o fluxo das águas para atender suas necessidades e abastecer suas cidades.

Tipon_Cusco_Peru-9

Tipon_Cusco_Peru-6

Tipon_Cusco_Peru-10

Essa ruína é bastante grande e com certeza merecia mais tempo do que passamos lá para vê-la com calma. Muitas vezes nós tínhamos que escolher entre ficar com o guia e ouvir as histórias ou parar para bater fotos.

Tipon_Cusco_Peru-11

Tipon_Cusco_Peru-4

Tipon_Cusco_Peru-3

Tipon_Cusco_Peru-13

Depois de darmos a volta na ruína voltamos para o nosso ônibus e seguimos para a próxima parada.

Tipon_Cusco_Peru-7

Tipon_Cusco_Peru-12

Aluguel de carro

Andahuaylillas
Quando olhamos o destino da segunda parada, nós percebemos que já tínhamos estado ali. Pois é! Isso acontece quando se explora o lugar com mais tempo e com excursões fechadas em que não podemos escolher as paradas. Nós estivemos em Andahuylillas quando viemos no ônibus com paradas de Puno para Cusco.

Raqchi_Puno_Cusco_Peru-8

Andahuaylillas_Puno_Cusco_Peru-3

Então, nós optamos por não entrar novamente na Iglesia de San Pedro. Nós já tínhamos feito isso e visto muitos dos seus toques da arte barroca do século 17 e das muitas esculturas e pinturas, incluindo uma tela da Imaculada Conceição atribuída a Esteban Murillo. Apesar disso, com o guia dessa excursão, ouvimos que há relatos de muitos tesouros de ouro e prata escondidos no templo, e os moradores fazem turno de 24 horas por dia para guardá-los. Se é verdade ou não, não podemos dizer.

Andahuaylillas_Puno_Cusco_Peru-2

Andahuaylillas_Puno_Cusco_Peru

Durante o tempo que esperávamos o grupo que estava na igreja, nós andamos pelos arredores e vimos uma loja do Projeto Q’ewar, que é uma cooperativa de mulheres que faz bonecas vestidas em trajes tradicionais e visitamos o eclético Museo Ritos Andinos. Esse museu deve ter sido o mais esquisito que visitamos em toda a viagem. Seu acervo conta com crianças mumificadas e um número impressionante de crânios deformados. Existe até um cartaz fazendo uma relação com extraterrestres.

Tipon_Cusco_Peru

Quando o grupo saiu da igreja nós nos encontramos com eles e seguimos em direção a nossa última parada do dia.

Piquillacta
Essa construção que pode ser traduzido literalmente como “O lugar da Pulga” é a única grande ruína pré-ancaica na região em que se encontra. Ela foi construída por volta do ano de 1100 pela cultura wari. Nós andamos por sua grande área até o grande centro cerimonial que tem construções de 2 andares meio desmoronadas e suas entradas estrategicamente localizadas no piso superior.

Tipon_Cusco_Peru-14

Piquillacta_Cusco_Peru-3

Todo o seu entorno é cercado por uma muralha defensiva. Nosso guia chamou a atenção para a alvenaria que é muito mais grosseira do que a dos incas. Pisos e paredes foram pavimentados com lajes de gesso branco, das quais permanecem pequenos vestígios. Já do lado oposto da estrada, cerca de 1 km a leste, está o imenso portal inca de Rumicolca  que foi construído sobre fundações wari. Lá podemos ver que a alvenaria dos wari contrasta com os blocos incas.

Tipon_Cusco_Peru-15

Piquillacta_Cusco_Peru-4

Piquillacta_Cusco_Peru-6

Foi com essa última parada que fechamos os nossos passeios pelos arredores de Cusco. Assim pudemos perceber muitos detalhes da cultura, estrutura e trabalho dos incas.

Piquillacta_Cusco_Peru-9

Piquillacta_Cusco_Peru-10

Todos os passeios que fizemos foram muito interessantes para compreendermos e chegarmos a Machu Picchu já esperando muito do lugar e das construções incas. Se você tiver tempo, indicamos todos os passeios: City Tour em Cusco, Valle Sagrado, Maras – Moray – Salineiras e Valle Sur. Se tiver com um pequeno grupo, eu indicaria procurar um tour privado. A diferença de preço não será tão grande e você poderá aproveitar melhor o lugar, fazer as coisas no seu tempo e decidir onde quer ficar mais tempo e onde quer ficar menos tempo. Nós não fizemos isso e nos arrependemos muito. Desde essa viagem que passamos a fechar tour privados onde temos essa opção.

Piquillacta_Cusco_Peru-7

Piquillacta_Cusco_Peru-8

Lembre-se de estar com seu Boleto Turístico, o valor do passeio não incluí as entradas e o boleto é pedido na entrada das ruínas. De resto só aproveitar esse dia em meio a cultura inca.

Que tal seguir a gente no Instagram tem muitas fotos rolando por lá!

Dados Financeiros:
Valle Sagrado dos Incas: S./ 30 por pessoa

Viagem realizada em Agosto de 2014.

LEIA MAIS:
Peru: Cuzco, a capital arqueológica das Américas
Peru: City Tour em Cusco
Peru: Boleto Turístico de Cusco, um item indispensável na sua viagem

Posted in AMERICA DO SUL, CULTURAL, CUSCO, PERU and tagged , , , , , , , .
Tatiane Dias

Tatiane Dias

A cada dia me desapego mais e mais de bens materiais. A vida nos mostra que mais importante que ter é viver. Por isso, cada brecha que temos já começo a pensar em algum lugar pra ir seja no Rio ou fora dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *